Você sabe quais medidas de conscientização podem ser tomadas de como economizar energia no condomínio? Pois saiba que o síndico tem como função propor aos moradores práticas que estimulem a diminuição do recurso e que garantem maior economia para o bolso.

Dessa forma, determinar ações que visam a redução das taxas condominiais é uma responsabilidade da gestão. Assim, o diálogo deve ser claro em relação ao excesso: de nada adianta adotar alternativas se a mudança não ocorre também dentro de cada unidade residencial.

Ficou curioso? Continue a leitura e descubra como é possível economizar energia no condomínio de maneira duradoura e, ainda, reduzir significativamente as contas da edificação! Acompanhe.

Por que é importante economizar energia no condomínio?

Antes de mais nada, um condomínio agrega um grande números de moradores e, por isso mesmo, despende uma alta quantidade de energia elétrica para que todas as instalações funcionem corretamente. Isso é preocupante quando falamos em unidades verticais e a possibilidade de problemas relacionados aos horários de pico nas residências.

O ideal, para esses casos, é sempre considerar a importância da consciência coletiva para que a economia seja possível. A administração tem o papel de instruir e educar os condôminos e elencar algumas práticas que geram redução nas altas cotas de energia.

Por exemplo, o síndico pode confeccionar e distribuir uma cartilha educativa com algumas informações sobre a economia do recurso e, ainda, demonstrar como ela promove benefícios para todas as residências e para o meio ambiente.

Na cartilha podem conter dicas simples, como diminuir o tempo gasto no chuveiro, evitar passar roupas em vários dias da semana, retirar aparelhos eletrônicos das tomadas quando não estiverem sendo utilizados, apagar as luzes dos cômodos sempre que estiverem vazios, entre outras.

É essencial que todos os moradores tenham consciência de que a economia também depende deles e do uso racional da energia. Porém, apenas essas ações não possibilitam uma significativa diminuição ou controle sobre o recurso.

Dessa forma, é fundamental que a própria gestão tome medidas de melhoria no imóvel para que a economia, de fato, ocorra. Vamos a elas?

Como economizar no condomínio?

Como já citamos, a contribuição dos moradores é essencial para que o condomínio reduza o consumo de energia elétrica. Entretanto, para além de cada unidade particular, a gestão deve também trabalhar para oferecer e promover práticas exemplares de conscientização.

Realizando algumas análises técnicas no imóvel, o síndico consegue determinar quais são as mudanças mais urgentes e se é necessário realizar alguma reforma na infraestrutura. Para isso, os condôminos são convocados em assembleia e consultados sobre a aprovação das melhorias.

Portanto, confira a seguir dicas com práticas de conscientização para economizar energia no condomínio.

Troque as lâmpadas

Há um tempo em desuso, as lâmpadas incandescentes são aos poucos substituídas pelas fluorescentes ou as de LED. Além de oferecer maior durabilidade, a troca constitui um verdadeiro investimento. No condomínio, essa mudança garante um alto racionamento energético, sem reduzir a eficácia do serviço de iluminação.

Geralmente, os ambientes comuns e de maior fluxo, como corredores, hall, garagem, entre outros, demandam o uso constante de energia. E a simples substituição das lâmpadas é uma alternativa que contribui significativamente na redução do consumo.

https://carvalhoadm.com.br/blog/media/carvalhoadm/2018/11/sou-síndico-e-agora.png

Instale sensores de luz

Instale sensores de luz em locais estratégicos e de constante movimentação, principalmente em garagens, pátios, elevadores e corredores. Esses espaços dispensam luminosidade frequente e ainda contribuem para a segurança do imóvel.

A luz apenas é acionada quando detecta a presença de alguma pessoa, por isso a implantação do sensor é eficaz na redução de energia — principalmente nos horários de baixo deslocamento de moradores.

Priorize a iluminação natural

Priorize a limpeza das paredes e, caso necessário, pinte o imóvel com cores claras para evitar o alto consumo de energia. Esse tipo de medida contribui para que a iluminação natural adentre mais facilmente no ambiente interno e dispense o uso de eletricidade na maior parte do dia.

Evite utilizar cortinas e mantenha as janelas e vidros do condomínio sempre limpos para que o máximo de luz seja aproveitada no ambiente.

Troque os elevadores

Com o tempo, edificações antigas podem modernizar os elevadores para que o consumo de energia caia para quase metade. Como são muitos utilizados, acabam gerando um excesso no gasto do recurso no condomínio.

Mesmo que não seja relativamente barato trocar ou modernizar um elevador antigo, o investimento certamente é uma oportunidade de valorizar ainda mais o imóvel e, ainda, adquirir um bem que assegure qualidade e segurança aos moradores e funcionários.

Economize água

A economia de água contribui e está relacionada ao consumo da energia elétrica. Isso porque, a demanda para a bomba hidráulica diminui quanto mais poupa-se o recurso — o que vale tanto para as residências quanto para o uso nos serviços do condomínio.

Por isso, verifique a incidência de vazamentos e alerte os moradores e funcionários sobre o uso racional da água e sua importância para a economia da eletricidade. Se possível, adote os marcadores individuais na edificação e obtenha maior controle sobre os gastos em cada apartamento.

É importante lembrar da necessidade que o síndico e a administração tem de promover medidas conscientes e que incentivem as boas práticas para que os moradores economizem energia. As inadimplências podem ser evitadas com simples decisões corretas da gerência.

Considerando as nossas dicas, o serviço de fornecimento de energia é mantido sem afetar a comodidade ou a segurança dos condôminos. É essencial alertar sobre o desperdício e como ele afeta negativamente as contas mensais para todos — além de demonstrar que os valores despendidos poderiam ser melhor utilizados para o melhoramento de toda a edificação.

Como visto, economizar energia no condomínio é um compromisso que o síndico deve ter em relação à diminuição dos custos. Mas, muito além disso, é possível evitar as famosas quedas em horários de pico e salvaguardar os moradores de qualquer tipo de prejuízo ou danos. Por outro lado, o meio ambiente também agradece a atenção!

Gostou deste conteúdo? Então, deixe seu comentário logo abaixo ao post e participe do debate sobre o assunto!