Comer alimentos frescos e colhidos na hora não é uma prerrogativa apenas de quem mora no campo ou em casas com terreno amplo e próprio para o cultivo. É possível criar e manter plantio de vegetais e frutas no seu prédio! A horta comunitária em condomínio é uma tendência e vem ganhando cada vez mais popularidade no Brasil, à medida em que o debate sobre agricultura orgânica e familiar fica em evidência.

Com o acesso amplo à informação, é simples aprender a cultivar vegetais e folhas exclusivos para consumo. Por se tratar de um condomínio, as quantidades não precisam ser grandes e o uso de agrotóxicos pode ser dispensado. O resultado disso é a oportunidade de obter alimentos mais frescos e saudáveis à mesa.

Quer conhecer mais a fundo a horta comunitária em condomínio e obter dicas de como implementar uma no seu prédio? Confira os tópicos que listamos abaixo agora mesmo!

Vantagens da horta comunitária

As vantagens de cultivar uma horta comunitária em condomínio são inúmeras. Além da já falada acima, com relação à possibilidade de consumir alimentos sem agrotóxicos e, consequentemente, mais saudáveis, existe ainda a economia. Isso porque deixa de ser necessário comprar esses produtos. Além disso, há maior integração com os vizinhos, já que a horta será de todos e cultivada por todos também.

Outra vantagem é com relação à estética da área comum do prédio. Uma horta, seja ela horizontal ou vertical, deixa o ambiente mais bonito e com aspecto de bem cuidado, e tem tudo para encantar moradores e visitantes.

Além disso, a possibilidade de envolver as crianças no cultivo, principalmente em cidades grandes, é um diferencial para a formação dos pequenos. Poucas têm a chance de ver de perto os alimentos crescerem, poder cuidar deles e, posteriormente, compartilhar com vizinhos e familiares.

Como iniciar o projeto no condomínio

Apresente o projeto para os condôminos

O primeiro passo para instituir uma horta comunitária em condomínio é apresentar o projeto aos moradores. Você pode marcar uma assembleia para conversar com todos ao mesmo tempo, afixar cartazes informativos nos pontos específicos da edificação, buscar alguém que já tenha experiência com hortas a fim de conversar e tirar dúvidas etc.

É muito importante estar bem preparado para o diálogo, pois é possível que algumas pessoas sejam contrárias à ideia. Apresente as vantagens do cultivo, ouça o que todos têm a dizer e mostre o quão importante a horta é. Quando conseguir o aval, lembre-se de fazer os registros necessários para que a permissão seja documentada.

Escolha do local para plantio e compostagem

Com a aprovação na mão, é hora de definir o local do plantio e da compostagem. Se o condomínio for pequeno, considere as hortas verticais. Que tal unir a agricultura com a reciclagem e plantar em vasos de garrafa pet? O céu é o limite quando há criatividade! Existem técnicas que permitem o cultivo em áreas de apenas 1 metro quadrado, ou seja, falta de espaço não será problema.

Se ele for de médio ou grande porte, pense em utilizar áreas verdes que não possuem vegetação ou então construir canteiros. É possível também adquirir canteiros prontos para o cultivo na internet. Mas atenção, é essencial escolher um local com alta incidência de luz solar.

Para manter uma horta orgânica, é preciso fazer a compostagem. Por isso, selecione um local específico. O resíduo sólido orgânico dos próprios moradores pode ser utilizado como adubo.

Forme um grupo responsável pela horta

É necessário definir quem serão as pessoas responsáveis pelo plantio, manutenção, colheita e divisão dos alimentos. Criar um grupo responsável pela horta, eleito pelos próprios moradores, é importante para garantir o bom andamento do projeto.

Estipule as regras para cultivo e colheita

Além da escolha dos alimentos que serão plantados, que deve ser feita levando-se em consideração o tipo de solo, a época do ano e a região onde o condomínio está, é importante definir uma escala de rega da horta para que não falte e nem haja excesso de água. Uma dica é fazer a rega sempre pela manhã, evitando, assim, o desperdício de água por evaporação.

Cada alimento requer um cuidado específico e, por isso, o planejamento é essencial. É preciso ainda remover as ervas daninhas, que danificam a plantação, e fazer a prevenção contra pragas. Existem maneiras não química de controle e prevenção, ou seja, a plantação pode ser mantida com alimentos orgânicos. Assim, a horta comunitária em condomínio tem tudo para crescer com sucesso.

Envolva todos os moradores

Apesar de ser necessário estipular um grupo específico para ficar a cargo da manutenção da horta comunitária, é importante envolver todos os moradores. Por isso, criar dias temáticos com atividades para as crianças, por exemplo, é uma oportunidade de educar sobre a importância da alimentação e deixá-las em proximidade com a natureza.

Promover almoços coletivos com os alimentos colhidos também é uma maneira de integrar a vizinhança e agregar ainda mais valor ao condomínio como um todo.

Colha e divida entre os condôminos

Por fim, é hora de colher e dividir os alimentos entre os condôminos. Você pode fazer disso um evento convidando a participação de todos, ou deixar a colheita sob responsabilidade do grupo eleito e fazer a divisão e entrega. É importante garantir que todos os moradores sejam contemplados pelos alimentos de maneira igual, já que a horta é de todos.

Viu só o quão vantajoso é criar uma horta comunitária em condomínio? Além de promover a interação, propiciar uma alimentação mais saudável, deixar o prédio mais bonito e educar as crianças sobre a natureza, a plantação gera economia e promove momentos únicos de contato com a terra.

Quer ser um síndico inovador e que realmente faz a diferença? Siga nossas dicas, converse com seus vizinhos, defina um espaço e comece a cultivar! Todos vão sair ganhando com esse projeto!

Gostou de conhecer um pouco mais sobre a horta comunitária em condomínio? Que tal colocar a ideia em prática? Queremos ajudar você a promover uma gestão de excelência como síndico. Assine nossa newsletter e receba mais materiais como este periodicamente!