A movimentação no setor imobiliário, incluindo o aluguel de imóveis, está intimamente relacionada aos movimentos da economia e em momentos pós-crise tende a gerar diversas dúvidas.

Independentemente da “fase do mercado imobiliário”, o  que podemos afirmar é: ter um imóvel vazio, em qualquer situação, é prejuízo certo.

O aluguel de imóveis é uma forma segura de garantir o retorno do investimento em imóvel, além de evitar diversas despesas desnecessárias.

O momento não é favorável para comprar um imóvel: crédito menor e juros mais altos dificultam a aquisição. Para quem precisa vender, a vida não está muito mais fácil: segundo o índice FipeZap, o preço médio dos imóveis no Brasil acumulou uma queda real de 3,14% em agosto de 2018.

Dá para adiar a compra, mas as pessoas precisam ter onde morar. Mais um motivo para apostar no aluguel de imóveis.

Preço para venda está caindo

Assim como acontece no mundo todo, no Brasil, as perspectivas de economia e recuperação de mercado estão diretamente ligadas à política. Assim, enquanto o país não recuperar sua confiança, muitos setores seguirão instáveis, como o de venda de imóveis. As placas de “vende-se” estão sendo mantidas por muito mais tempo do que o esperado pelos proprietários, mas as despesas não param de chegar.

A baixa nas vendas é o que tem feito, inclusive, os preços caírem nos últimos tempos. Segundo especialistas, ainda que os bancos tentem incentivar financiamentos deixando de aumentar os juros, vai levar um tempo para que os consumidores retomem seu poder de compra.

Proprietários que têm pressa para vender estão assistindo a uma dura realidade: descontando a inflação, os imóveis estão, na verdade, perdendo valor.

Esse cenário não é muito otimista para quem adquiriu um imóvel como investimento, pensando em lucrar com a revenda. O único jeito de garantir um bom retorno desse investimento seria esperar o mercado retomar o crescimento, a economia se recuperar e o mercado de vendas de imóveis crescer novamente. Mas o que fazer enquanto o cenário não melhora para vender o imóvel?

Imóvel vazio: prejuízo completo

Ignorando as atuais tendências do mercado, algumas pessoas podem preferir manter o imóvel vazio enquanto não encontram compradores.

O problema é que a oferta tem sido muito maior que a demanda, portanto, ou você perde o lucro esperado com a venda do imóvel ou amarga uma longa espera até que a negociação seja concretizada.

Nesse intervalo, o imóvel desocupado exige manutenção e pode se depreciar muito mais rápido.

Contas de consumo, manutenção, segurança, condomínio, dentre outras, não são suspensas quando não há moradores na residência.

O dono do imóvel precisa arcar com as despesas permanentes para evitar multas, cortes de fornecimento e outros problemas. Quando se tem um inquilino, o proprietário não precisa se preocupar com esses custos.

Já com o imóvel parado esperando pela venda, que não tem previsão de acontecer, os donos ainda perdem o dinheiro do aluguel e assistem à deterioração do patrimônio.

https://carvalhoadm.com.br/blog/media/carvalhoadm/2018/11/como_alugar_seu_imovel_em-45-dias.png

Distrato e inadimplência são vilões das vendas

Outra pedra no sapato de quem vende imóveis é o cancelamento do contrato, que ocorre quando uma das partes desiste do negócio firmado. Muitas mudanças têm ocorrido no âmbito de distrato de contratos, mas especialistas alegam que é a desistência da compra é uma realidade crescente.

Os casos costumam parar na Justiça e o comprador acaba recebendo o dinheiro investido de volta. Embora seja um direito do consumidor, que precisa ser respeitado, o vendedor pode acabar ficando no prejuízo.

Já a inadimplência não é uma preocupação constante em locação, quando há uma boa administradora gerenciando a transação. Hoje em dia, existem diversas formas de garantir o recebimento do pagamento. As garantias locatícias são seguras e deixam os proprietários tranquilos em relação ao aluguel, porque se o inquilino não cumprir a obrigação por qualquer motivo, há o suporte do seguro.

Enquanto o cenário não melhora para quem precisa vender o seu imóvel, o aluguel de imóveis segue sendo a maneira mais segura e rápida de manter o patrimônio gerando renda.

É provável que o mercado volte a se aquecer no futuro, mas não é inteligente deixar o imóvel fechado, e sem uso, se existe a possibilidade de garantir uma renda fixa todo mês.

Como lucrar com o aluguel de imóveis

Já que imóvel parado não é uma boa opção, saiba que existem alguns cuidados necessários para realizar melhores negócios no aluguel de imóveis.

Estudar o perfil do inquilino, ter apoio jurídico na elaboração do contrato, precificar corretamente o aluguel e ter uma boa relação com os locatários são alguns exemplos. Mas antes mesmo desta relação começar, é preciso saber produzir e divulgar seus anúncios.

Outra forma de garantir os lucros é escolhendo a garantia locatícia ideal para cada caso. Também é fundamental estar preparado para evitar ser vítima de inadimplência ou até mesmo de fraudes. E se o inquilino não cumprir com a obrigação dos pagamentos, existem as maneiras corretas de realizar as cobranças. Se o proprietário não souber conduzir a cobrança ou elaborar o contrato, pode sofrer penalidades.

A melhor forma de evitar problemas durante a locação é contratar os serviços de uma imobiliária experiente e confiável. Assim, você garante o apoio necessário para o aluguel de imóveis, desde o início do processo. Isso vai trazer mais segurança para que você possa se dedicar às suas demais atividades diárias e apenas receber o dinheiro do aluguel.

Vender ou alugar?

Além de garantir a rentabilidade do imóvel, o aluguel de imóveis elimina as preocupações com as contas mensais da edificação e sua desvalorização pela falta de manutenção.

Para evitar problemas com burocracias e realizar uma locação mais rápida e segura, conte com uma administradora de imóveis experiente para não ter prejuízos.

Se ainda lhe restavam dúvidas se é hora de alugar ou vender seu imóvel, o cenário mostra que é melhor para optar pela locação. Não sabe por onde começar? Confira como divulgar imóveis para alugar e fazer um bom negócio.